PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Notícias

Palmeiras na final

Verdão perde por 2 a 0, joga muito mal, mas se garante na final após 22 anos

Weverton, o VAR e a sorte foram cruciais para a classificação palmeirense

Guilherme Cardoso

13/01/2021 11h00


O torcedor do Palmeiras que não esperava vencer o River Plate por 3 a 0 na Argentina, certamente não esperava o sufoco da derrota por 2 a 0 ontem no Allianz Parque. A sorte estava do lado dos brasileiros. O time de Abel Ferreira jogou muito mal. Foi dominado praticamente o jogo todo. A pior atuação desde a chegada do treinador português. Rojas e Borré marcaram os gols do River.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

O time argentino começou com mais posse de bola, mas a primeira grande chance da partida foi do Palmeiras. Aos 11 minutos, Rony recebeu passe de Gabriel Menino, tentou driblar Armani, mas o goleiro se recuperou bem na jogada e impediu o gol. Aos 28, Diaz subiu mais alto que todos e abriu o placar de cabeça. Ali começava o drama Alviverde. No fim do primeiro tempo, Borré fez o segundo depois de um cruzamento pela direita.


Diaz subindo para marcar o primeiro gol do River na partida - Foto: Twitter River Plate

A vantagem que o Palmeiras obteve no jogo de ida, foi igualada aos 7 minutos da segunda etapa. Montiel marcou o terceiro com um chute cruzado. O VAR entrou em ação e anulou o gol. Foi marcado impedimento do jogador no início da jogada. Tem polêmica aí. A bola não foi direcionada a ele, não foi uma assistência, foi uma bola sobrada de uma dividida. Historicamente os clubes argentinos são favorecidos em fases decisivas da Libertadores, dessa vez foi diferente.


Árbitro Esteban Ostojich - Foto: Cesar Greco

O River só atacava e criava muitas chances, mas a expulsão de Rojas dificultou a reação dos Milionários. O camisa 2 fez falta dura no contra-ataque adversário e tomou o vermelho. Na jogada seguinte, Suarez caiu na área em disputa com Empereur. O árbitro marcou penalidade. Quase na hora da cobrança, foi chamado pelo VAR. Voltou atrás e anulou a marcação. O atacante argentino tentou cavar a falta, bateu o pé no chão antes de cair. Nos minutos finais, muita bola do River na área e nos acréscimos mais uma checagem do VAR, possível pênalti para o River, não foi marcado. Foi assinalado impedimento de Borré na jogada. Justo!

Leia também:

O grande destaque do Palmeiras certamente foi o goleiro Weverton. O Camisa 1 do Verdão fez grandes defesas. Uma das mais difíceis foi aos 38 do segundo tempo, em cobrança de escanteio. Enzo Pérez cabeceou e Weverton salvou. "Todo esforço valeu a pena", disse o goleiro.


Goleiro Weverton com troféu de melhor jogador da partida - Foto: Staff Images/Conmebol

Mais sorte que juízo, assim foi essa classificação. Alivio geral de toda torcida palmeirense espalhada pelo Brasil. Abel Ferreira destacou o treinador adversário. "O Galhardo é melhor treinador do que eu, e os jogadores deles são mais experientes que os nossos. Mas a única maneira de ganhar experiência é assim: vivendo e passando por situações como essa", disse Abel.

Agora o Palmeiras aguarda o confronto de hoje entre Boca Juniors x Santos, para saber seu oponente na final marcada para o dia 30 de janeiro no Maracanã.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Tags

Relacionadas


PUBLICIDADE