PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Notícias

Abastecimento

Cerca de 600 caminhões com grãos estão parados na fronteira com o Paraguai

Os veículos estão bloqueados por causa da seca que afetou o Rio Paraná

Pâmela Lima

09/12/2020 20h00


Há pelo menos duas semanas, cerca de 600 caminhões carregados de soja e outros grãos aguardam para atravessar a fronteira do Paraguai com destino ao Brasil. Os motoristas estão impossibilitados de fazer a travessia por causa da baixa vazão do rio Paraná, que impossibilita o uso de barcaças entre as cidades de Guairá, no Paraguai, até Guaíra, no Paraná.

A Câmara Paraguaia de Exportadores e Comercializadores de Cereais e Oleaginosas informou que tentou a via terrestre, mas a alfândega de Mundo Novo (MS) não suportou a demanda. “Estamos tentando baixar o fluxo com remanejamento dentro da própria unidade e com a chamada de funcionários de fora, o que não é fácil por causa do deslocamento e da pandemia. Nossa tentativa é para mitigar esse problema, que não é culpa do empresário, nem da Receita ou do Paraguai. Foi um fator climático que mudou toda a logística entre os dois países”, explicou a superintendente federal da 1ª Região Fiscal, Rosane Faria de Oliveira Esteves, em entrevista ao Canal Rural.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Rosane disse que a pandemia limitou ainda mais a oferta de mão de obra para suprir a demanda e que precisou convocar funcionários de férias ou em folga. “O último concurso foi feito há mais de seis anos e fomos sofrendo perdas, inclusive por causa da Covid-19. Perdemos colegas que morreram por causa da doença, outros que, por causa da idade ou fatores de risco estão afastados das atividades de campo”, contou. Ela calcula que a situação deve ser normalizada em até uma semana.

Com informações do Canal Rural

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Tags

Relacionadas