Espiritualidade

Arquidiocese critica filme que usa ideologia de gênero para contar história de Santa Marina

O documentário teve a participação do padre Júlio Lancellotti

Pâmela Lima

Há 5 dias


O padre Júlio Lancellotti em cena do curta-metragem (Foto: Reprodução/Rosa Caldeira)
O padre Júlio Lancellotti em cena do curta-metragem (Foto: Reprodução/Rosa Caldeira)

Polêmica - O padre Júlio Lancellotti se envolveu em mais uma polêmica ao ser escalado para narrar o curta-metragem São Marino, que reconta a história de Santa Marina à luz da ideologia de gênero. Segundo o material de divulgação, a santa seria uma transexual e deveria ser chamada de Marino.

Com encenações, reflexões e interações de um grupo de pessoas transmasculines, o filme promove sensíveis discussões contemporâneas sobre, por exemplo, o respeito ao nome social, resignificando Santa Marina em São Marino”, consta na propaganda. A produção foi gravada na Igreja Santa Marina, na zona leste de São Paulo.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

A Arquidiocese de São Paulo não mencionou a participação do sacerdote na produção, mas criticou a versão do documentário sobre a santa católica. A arquidiocese explicou que Santa Marina não era transexual e se disfarçou de monge apenas para poder morar com o pai no mosteiro. A ordem não permitia a presença de mulheres no local.

Santa Marina era uma jovem órfã de mãe que, para continuar a viver com o pai, que decidira ingressar em um mosteiro, disfarçou-se de monge e consagrou a sua vida a Deus. No mosteiro, progrediu nas virtudes, na vida de oração, penitência e caridade. Quando poderia revelar ser mulher para se defender da falsa acusação de ter engravidado uma jovem, ela silenciou, suportando a provação da calúnia e humilhações, unindo-as aos sofrimentos de Cristo. Seu segredo só foi descoberto quando ela faleceu. Por seu exemplo de humildade e fidelidade a Deus, é invocada como intercessora dos que sofrem provações e calúnias”, disse a arquidiocese para a ACI Digital.

O padre Lancellotti teria dito várias frases polêmicas na gravação e se referido à santa como homem. A arquidiocese afirmou que a história dos santos “não pode ser interpretada à luz de ideologias que em nada correspondem com o contexto em que viveram, tampouco com os valores e virtudes por eles testemunhados ao longo de suas vidas. Nesse sentido, não é correto afirmar que Santa Marina tenha sido uma 'pessoa trans', como o vídeo mencionado sugere”.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Tags

NOTÍCIAS RELACIONADAS

MAIS LIDAS

PUBLICIDADE